Quem Somos

Carta Pastoral

Nossa História

Missão e Valores

O que Cremos

Equipe Ministerial

Carta Pastoral

2017 TEMPO DE ENTENDER A GRANDE HISTÓRIA QUE ESTÁ POR DETRÁS DE NOSSA HISTÓRIA PESSOAL

 

“Quem não sabe para onde está indo, qualquer lugar serve, inclusive nenhum.” (Lewis Carroll)


“Uma história é simplesmente a melhor maneira de falar sobre a maneira como o mundo realmente é.” (N.T.Wright)
 

Ambos os pensamentos supracitados revelam a importância de se compreender o que está por detrás e o que dá sentido a nossa existência pessoal.  No primeiro pensamento é evidenciada a importância de saber “pelo que vivemos”, isto é nossa visão de mundo, e isso deve implicar na melhor utilização dos nossos recursos materiais, emocionais, relacionais e espirituais. No segundo pensamento somos lembrados de que as grandes verdades da vida, inclusive as espirituais, são melhores apreendidas quando nos são internalizadas como uma história.

 

Nesse sentido, a Palavra de Deus, a Bíblia Sagrada, nos fornece ambas as coisas. Ela nos indica o Caminho de volta para Deus (o alvo), e o faz através de uma narrativa (uma história). Trata-se da história de como Deus, através de Cristo e no Poder do Espírito Santo, está reconciliando o ser humano e toda a criação consigo através do anúncio da chegada do Reino de Deus, que em sua plenitude estabelecerá o Seu Shalom. O estabelecimento do reino de Deus é o objetivo último da história do mundo, um mundo de Shalom, isto é, a maneira como as coisas deveriam ser, a intenção de Deus para a criação, um mundo caracterizado pela justiça, pelo amor, pela gratidão e pela alegria. 

 

Daí a importância de estudar e compreender a Bíblia como uma história única e coerente. Como diz Christopher Wright, “a Bíblia apresenta a história da missão de Deus, por meio do povo de Deus, no envolvimento deste povo com o mundo de Deus e em prol de toda a criação de Deus”. É nesse sentido que sua história pessoal precisa ser entendida. Dentro dessa história maior: a história da Redenção!

 

A narrativa bíblica tem como enredo básico o trinômio Criação-Queda-Redenção. O enredo principal da Bíblia é a narrativa de como Deus restaura uma Criação que foi desfigurada pelo pecado. Em primeiro lugar vem a Criação, seguida pela Queda, e depois a Redenção. Primeiramente o Deus criador enche o mundo de criatividade e beleza. Mas a liberdade dada ao ser humano feito à sua imagem possibilita a entrada trágica do pecado no mundo de Deus. Então, o próprio Deus promete restaurar o Homem e Sua boa criação, mas para isso, o próprio Deus terá que prover a Salvação, já que ao homem isso é impossível porque jaz no pecado.

 

O que é o evangelho? É o anúncio dessa bela e grandiosa história de resgate da humanidade e da criação de Deus através de Jesus Cristo. O evangelho é verdade pública, universalmente válida, verdadeira para todas as pessoas e para a totalidade da vida humana. Não é somente para a esfera pessoal da experiência religiosa. É a mensagem de Deus sobre como Ele está operando para restaurar o Seu mundo e a totalidade da vida humana.

 

Portanto, a visão que temos sobre o evangelho tem consequências práticas. O evangelho não pode ser reduzido à “paixão pelas almas”. Ele precisa ser o evangelho do Reino! E o evangelho do Reino é a percepção do senhorio de Cristo sobre todos os aspectos da vida. É justamente aqui que está o centro da missão, tanto da Igreja de forma geral, como sua missão de forma particular.

 

Qual é a relação da Igreja com o Reino de Deus? A Igreja é os primeiros frutos do Reino; é também um instrumento do Reino, bem como também o sinal do Reino. Como “os primeiros frutos do reino” é o lugar onde o reinado de Deus se torna visível no presente, em que o senhorio de Cristo é reconhecido e o Espírito de Deus já esta visivelmente em ação; como “instrumento do reino”, à medida que a igreja assume a missão de Jesus, ela se torna um instrumento de propagação das boas novas do reino desafiando as forças espirituais que se opõem ao domínio gracioso de Deus; como “sinal do reino”, a igreja, através de todos os seus membros, encarna o domínio de Deus em sua vida e em seu trabalho já no presente, apontando para a vinda futura do reino em sua plenitude. 

 

Agora que você já conhece a Grande Narrativa que está por detrás de sua história pessoal, você deve direcionar seu tempo, seus dons e seus recursos na missão de Deus, que é também a missão da Igreja e, claro, é também sua missão pessoal.